PET Engenharia FLorestal participa do 12º Congresso Florestal Estadual do Rio Grande do Sul  

PET florestal e acadêmicos da UTFPR
VIsita: Hidrelétrica Monte Claro- RS
Visita: Vinícola AURORA

 

     Entre os dias 12 à 15 de Maio de 2015, em Nova Prata - RS. Ocorreu o 12º Congresso Florestal Estadual do Rio Grande do Sul, 5º Feira da Floresta, 1º Fórum sulbrasileiro da Engenharia Florestal e 3º Ciclo de Palestras. 

      A viagem foi organizada pelo grupo PET Engenharia Florestal e o Centro Acadêmico de Engenharia Florestal (CAEF) da Universidade Tecnológica Federal do Paraná, campus Dois Vizinhos. Dentre os que participaram foram membros do PET engenharia florestal, CAEF, graduandos de engenharia florestal e também professores da instituição.

    O encontro ocorreu na cidade de Nova Prata - RS, com a participação de várias instituições do Sul do Brasil, dentre elas UTFPR-DV, UFSM, UFSC, UDESC, entre outros.

     Ao longo do Congresso, foram apresentados trabalhos aceitos no evento, e muitos estudantes da UTFPR-DV mostraram peso na participação. Houve a premiação de 10 melhores trabalhos, e a UTFPR-DV contou com duas premiações. Sendo que um dos trabalhos foi de um petiano.

     No último dia de viagem, foi realizado uma visita técnica na usina hidrelétrica Monte Claro (RS) e também foi realizado a visita na vinícola AURORA em Bento Gonçalves -RS. 

     Acredita-se que com a realização desta viagem houve uma enorme troca de conhecimentos, experiências que vão ser muito válidos para os futuros engenheiros florestais.

 

XVIII Encontro  dos grupos PET'S da Região Sul

 

     Entre os dias 18 a 20 de Março de 2015, em Londrina. O Evento SulPET tem por objetivo acolher os grupos PET de toda a região sul do país para discutir melhorias no ensino, pesquisa e extensão da graduação de todos universitários.

    O encontro ocorreu na Universidade Estadual de Londrina  -UEL, com organização dos PET's: Físcia, Geográfia, Educação Físca, Matématica e Zootecnia da UEL e do PET Alimentos da UTFPR.

     A palestra de abertura do evento realizada por Sonia Bridi, em que contextualizou sobre sua vivência em eduação pelo quatros cantos do mundo.

   Ao longo do evento os petianos realizaram oficinas e participaram de grupos de trabalho – GDT. Todos os GDT’s tinham como objetivo, discutir melhorias do ensino, pesquisa e extensão para todos acadêmicos.

   No ultimo dia de evento, ocorreu o encontro por áreas, onde o grupo PET Eng. Florestal da UTFPR, encontrou com o grupo PET Eng. Florestal da UFSM- Campus Frederico Westphalen – RS, em que ouve troca de experiências entre os grupos. 

1.jpg
2.jpg
13.jpg
12.jpg
11.jpg
10.jpg
9.jpg
8.jpg
7.jpg
3.jpg
4.jpg
5.jpg
6.jpg

I Fórum de Ecologia Urbana

Forum-Ecologia-Urbana.jpg
Forum-Ecologia-Urbana2.jpg
IMG_7369.JPG
IMG_7346.JPG
IMG_7447.JPG
IMG_7426 (1).JPG
IMG_7386 (1).JPG

       O Grupo PET atuou em parceria com os alunos do curso Engenharia Florestal e com o Grupo de Pesquisa em Silvicultura e Ecologia Urbana, os quais, durante o último semestre, frequentaram a disciplina de Ecologia Urbana, realizando trabalhos de diagnóstico de diversos problemas ambientais urbanos da cidade e propondo soluções aos mesmos.

     Os trabalhos foram apresentados no I Fórum de Ecologia Urbana de Dois Vizinhos, realizado na noite do último dia 20/02/2015, no Auditório da Associação Empresarial, com temáticas como qual modelo de cidade Dois Vizinhos quer para seu futuro, a pegada ecológica e hábitos de consumo da população, o mapeamento de áreas de risco no meio urbano (alagamentos, deslizamentos, erosões, etc.), o uso de áreas verdes da cidade, a acessibilidade, a arborização urbana, entre outros aspectos..É nisso que se fundamenta a atuação do grupo PET Engenharia Florestal, realizando e, nesse caso, apoiando ações que trazem benefícios a todos, quando bem discutidas e colocadas em prática, melhorando a formação dos estudantes do curso, fazendo ensino com base em pesquisa e culminando com a extensão. A comunidade duovizinhense que se fez presente no evento (Prefeitura Municipal, Secretarias, Câmara de Vereadores, Associação Empresarial, Núcleo de Responsabilidade Social e Empresarial, empresários, profissionais, estudantes, professores, associações de moradores, representantes de conselhos municipais, entre outros segmentos), podem conhecer o trabalho realizado e a importância da atuação de profissionais qualificados, como os Engenheiros Florestais, na condução dos processos de melhoria urbana e sustentabilidade desse meio.

      O evento contou ainda com a participação dos artistas do Projeto Alquimia, Eiguel Ribeiro e Débora Oliveira, os quais, durante as palestras, elaboraram e apresentaram uma proposta de arte da grafitagem sobre um dos pontos discutidos no evento, o Parque Municipal do Lago Dourado e sua importância na qualidade de vida da população Duovizinhense, como um dos principais Parques Urbanos da Cidade.  

Planos Municipais de Arborização Urbana: Realidades e Desafios no Brasil

DSC00736.JPG
DSC00726.JPG
DSC00724.JPG
DSC00740.JPG
DSC00730.JPG
DSC00715.JPG
DSC00750.JPG

       Na tarde de quarta-feira do dia 4 de fevereiro, no anfiteatro da UTFPR Campus Dois Vizinhos, foi realizada a palestra intitulada como: "Planos Municipais de Arborização Urbana: realidades e desafios no Brasil", conduzida por Demóstenes Ferreira da Silva Filho, da Universidade de São Paulo (USP). O evento foi organizado pelo Grupo de Pesquisa em Silvicultura e Ecologia Urbana e pelo Grupo PET Engenharia Florestal, com apoio da Associação Empresarial de Dois Vizinhos e Prefeitura.

       No encontro, o especialista proferiu palestra para mais de 200 participantes entre gestores municipais representando 28 prefeituras do Paraná e Santa Catarina, professores, universitários e integrantes de organizações não governamentais. Silva ressaltou questões relevantes à arborização que devem ser consideradas nas elaborações dos planos diretores municipais.

       O especialista destacou também as novidades tecnológicas que hoje podem ser utilizadas nos pré diagnósticos ambientais como máquinas foto térmicas de abordagem aérea que evidenciam os focos de maior concentração de calor de uma cidade e o tomógrafo que pode realizar diagnósticos de certeza em troncos e raízes de árvores por meios não invasivos, evidenciando ou não a sanidade de uma árvore.