I LAPIDANDO TALENTOS

“ (...) O ponto mais positivo de tudo isso foi o aprendizado sobre a importância do trabalho em grupo e a necessidade de estarmos deixando nossas limitações de lado e dar sempre o nosso melhor.”

O Lapidando Talentos aconteceu nos dias 30 e 31 de outubro e contou com a participação de pouco mais de 120 pessoas, tanto convidados, quanto professores e acadêmicos da instituição. Realizado pelo PET-Engenharia Florestal, Universidade Tecnológica Federal do Paraná e curso da Engenharia Florestal, teve como apoiadores o Centro Acadêmico de Engenharia Florestal professor Sebastião do Amaral Machado, Empresa Júnior Utflorestal, Empresa Junior de Entomologia e Associação dos Engenheiros Florestais do Oeste e Sudoeste do Paraná.

Separado em dois dias, evento iniciou-se as 19h com a mesa de abertura, onde as palavras de incentivo e agradecimento pelo evento tão inovador, foram o destaque. Seguido de uma palestra com o Engenheiro Florestal Ciro Duarte de Paula Costa que relatou sobre a abertura de sua empresa, desafios encontrados o que possibilitou aos alunos, várias dicas que poderiam vir a utilizar no evento.

Posteriormente foi divulgada as equipes e a resolução do desafio que consistia em criar um produto ou um serviço que controlasse a broca do cedro, de acordo com situações hipotéticas de uma empresa. Contando com 18 equipes composta de 3 a 5 alunos e com um mentor cada equipe que pudesse auxilia-los, os mesmos tinham até às 12:45 do dia seguinte para entregar suas propostas a comissão organizadora.

As apresentações foram divididas em 3 mini-auditórios com três avaliadores em cada sala, na qual foi selecionado o melhor de cada e separada em três apresentações finais, onde sairiam reavaliadas e classificadas de acordo com a pontuação, 1º, 2º e 3º lugar.

Para os membros da equipe vencedora do desafio, foi feita a seguinte pergunta: Qual foi a sua experiência referente ao I Lapidando Talentos?

“Primeiro quero agradecer a organização do Lapidando Talentos, porque tudo estava incrível. Existe um termo no Budismo que se chama Itai-Doshin que é quando várias pessoas diferentes se unem e tem o mesmo objetivo em mente, nada de errado acontece. A experiência que tive em participar do evento foram as mais legais e inesperadas, começando com o próprio desafio que já foi uma surpresa (risos). O trabalho em equipe faz toda a diferença quando você não tem muito tempo e manter a calma e o foco é primordial e desistir nunca foi uma opção. A experiência que tive de expor uma ideia em público, foi mais desafiadora do que o próprio desafio (risos), a superação da timidez foi algo difícil.

Espero que deem continuidade ao projeto porque foi incrível e todos estavam falando bem. Eu nunca tinha ganancia de participar desses projetos ao longo da graduação e agora que participei não quero mais parar (risos)”, disse Lucas Ramon Gorgulho Fernandez, membro da equipe vencedora do desafio.

“O Lapidando Talentos foi uma oportunidade de vivenciar um desafio real, uma experiência que nos aproxima mais da realidade e rotina de um Engenheiro Florestal. Além disso nos proporcionou o trabalho em equipe e nos estimulou a saírmos de nossa zona de conforto. Ressalto ainda que com fé, esforço, trabalho em conjunto somos capazes de superar nossas dificuldades e atingir nossos objetivos e metas.

Com certeza somos gratos a Deus, aos integrantes do PET pela ideia e iniciativa de promover o evento, aos nossos brilhantes professores e a todos que de alguma forma contribuíram para que o evento ocorresse”, disse Andreia da Silva Broncowiski, membro da equipe vencedora do desafio.

“Foi muito bom ter tido a oportunidade de participar do Lapidando, admito que no início eu não estava muito empolgado, se não fosse pela insistência dos membros do PET-EF nem teria feito a inscrição. Mas assim que foi lançado o desafio o meu grupo se comprometeu a dar o melhor de cada um para que pudéssemos fazer um projeto que fosse pragmático e ao mesmo tempo diferente dos demais.

O grande aprendizado que pude tirar do Lapidando Talentos foi a importância do respeito entre o grupo, pois mesmo tendo ideias diferentes em nenhum momento perdemos o respeito uns pelos outros, o que possibilitou que tivéssemos um ambiente tranquilo durante todo o tempo em que estivemos trabalhando juntos. Outro ponto que me deixou bastante contente foi a possibilidade de deixar nossos limites de lado e termos nos superado constantemente durante todo o decorrer do evento.

É realmente uma honra ter tido a chance de participar do Lapidando Talentos e ter conquistado o 1º lugar de um evento que teve um nível tão elevado, porém, independente do resultado acredito que o ponto mais positivo de tudo isso foi o aprendizado sobre a importância do trabalho em grupo e a necessidade de estarmos deixando nossas limitações de lado e dar sempre o nosso melhor”, disse Wellington Borba Ferron, membro da equipe vencedora do desafio.

Importante ressaltar, que esse evento contou com a participação de professores e engenheiros florestais que foram mentores das equipes, logo, a mesma pergunta foi feita para um dos mentores.

“O Lapidando Talentos 2019 foi a primeira edição de um evento que foi permeado de boas notícias. Uma delas foi a integração entre alunos de início, meio e final de curso. Isso sem dúvida foi uma oportunidade inigualável para interagir e fazer novos amigos e futuros colegas de profissão. Uma outra boa notícia foi a oportunidade de professores e alunos interagirem em torno de um tema real da profissão do engenheiro Florestal.

Também outro ponto importante foi observar o desejo de cada participante entregar da melhor forma sua proposta para o desafio.

Na minha opinião, independente da proposta vencedora, que foi muito criativa e pertinente, todos os participantes foram igualmente vencedores, pois se colocaram a disposição do seu desafio e lapidaram seus talentos floresteiros, mostrando suas capacidades e conhecimentos. Parabéns a todos os envolvidos neste evento grandioso em todos os sentidos” relatou a professora Maria Madalena dos Santos.

Um evento inovador em toda a instituição onde os organizadores tiveram a coragem e determinação para trazer um evento dessa magnitude para a comunidade acadêmica, todos os envolvidos estão de parabéns, pela iniciativa e proposta de desafio, instigando aos alunos a verem na prática a problemática de um setor empresarial, a pressão de se resolver um problema e como a criatividade e trabalho em equipe estão entrelaçados.

Posts Em Destaque